© pé na estrada, cabeça na lua ©

“Eu preferi esquecer todos os textos clichês que li em livros de ajuda, na rua ou e-mails. Eu sabia que não deveria fazer isso, mas é que… foi mais forte que eu. Quando eu te vi parado na minha frente com aquela calça larga, sem camisa sorriso malandro e me olhando com aqueles olhos do gatos de botas no filme do Shrek, eu não resisti. Você implorava por uma ação, por um beijo ou qualquer outro sinal de que eu ainda era louca por você. Eu tentei ser forte, eu quis muito, mas eu não resisti. Eu acabei me deixando levar, não sei se foi pelo seu sorriso malandro ou seu olhar carente. Seus gritos em silêncio soavam como um eco na minha cabeça e a cada olhar, a cada sorriso de canto de boca eu tinha vontade pular nos seus braços e esquecer tudo o que aconteceu. Mas eu estava tentando ser forte, entendeu o porque da minha resistência? E toda essa resistência foi jogada por água abaixo quando você resolveu se aproximar. Eu já te falei que jogar baixo assim não vale né? Enquanto você estava a uma distância razoável eu estava conseguindo me controlar, mas sabe como é né? A carne é fraca, a alma é safada e o diabo ainda atenta. Você foi se aproximando, aproximando, segurou na minha cintura e foi se aproximando… e já era. Eu esqueci meus conceitos de porque eu odiava você e me lembrei do porque eu não queria me aproximar nunca mais de ti. Eu sabia que se me aproximasse ia dar nisso. Eu sabia, tinha certeza absoluta de que eu não conseguiria me controlar. Dito e feito. Agora já era. Tudo o o que eu vinha lutando pra não fazer ao longo desses meses foi jogado ao ar em menos de cinco minutos. Eu tentei, eu juro que eu tentei resistir à você e às suas malicias. Mas eu não consegui. Você foi tão malandro como o seu sorriso. Depois da sua aproximação forçada o beijo foi quente, intenso e inesquecível. E mais clichê que esse seu beijo só a maneira como você foi pra casa. Depois de me fazer jogar os meus conceitos pelo ar, de me beijar e colocar tudo a perder você foi embora em uma cena dramática. Simplesmente se virou e disse de longe que, qualquer dia desses a gente se encontra. Mas você disse com aquele rosto malicioso que eu não sei como apareceu. Eu apenas sorri, eu não estava acreditando no que tinha acabado de acontecer.”

Clichês sempre colocam tudo a perder. [colaps0]

Tagged: #au7 #aaaaaaai #que horrivel #://

  1. secretamentesrt reblogged this from no-pecado
  2. no-pecado reblogged this from scarreddd
  3. scarreddd reblogged this from espe-rar
  4. desencaixar-se reblogged this from neblines
  5. the-force-of-love reblogged this from fracassei
  6. inn0cent-smile reblogged this from ironizas
  7. h0weverr reblogged this from neblines
  8. fracassei reblogged this from aflorir
  9. ironizas reblogged this from neblines
  10. searchlov-e reblogged this from f-orged
  11. i-need-a-vodka reblogged this from mar-de-ilus0es
  12. f-orged reblogged this from mar-de-ilus0es
  13. aflorir reblogged this from mar-de-ilus0es
  14. mar-de-ilus0es reblogged this from colaps0
  15. canseideamores reblogged this from strayedd
  16. miraozinha reblogged this from hipocrisie
  17. amor-doce reblogged this from strayedd
  18. hipocrisie reblogged this from strayedd
  19. strayedd reblogged this from s-trom
  20. s-trom reblogged this from upsset
  21. strcklove reblogged this from colaps0
  22. capitula-se reblogged this from colaps0
  23. shesfckd reblogged this from upsset
  24. upsset reblogged this from colaps0
  25. queoamorseja reblogged this from ceu-rezado
  26. in-alcancavel reblogged this from t-empestuosa
  27. t-empestuosa reblogged this from colaps0
  28. marr3nta reblogged this from colaps0
  29. backin-g reblogged this from c-ruelly
  30. ceu-rezado reblogged this from colaps0
  31. pontoimportante reblogged this from renasci-da-cinza
  32. fiz-e-desfiz reblogged this from colaps0
  33. vamo-fuder-pq-amar-ta-phoda reblogged this from filhado-salvador
  34. filhado-salvador reblogged this from colaps0
  35. renasci-da-cinza reblogged this from sexbbitch
  36. heysintosuafalta reblogged this from raizdeflor
©